domingo, 16 de julho de 2017

Islão: QUEM, O QUE, COMO. Vídeo para crianças (e adultos)


Este vídeo resume muito bem a essência do islã (ou islão, ou islamismo). Os pontos principais são apresentados abaixo. Assista ao vídeo e o compartilhe.

Pontos essenciais feitos no vídeo (veja o vídeo após o texto):

Islão, QUEM:
Existe apenas um deus, Alá, e um último mensageiro, Maomé.
Islão, O QUE: Al Walaa wal Baraa.
Al Walaa. Ame o Islã e os todos muçulmanos. Seja bom para todos os muçulmanos. 
Wal Baraa. Seja contra tudo e contra todos os outros. Odeie todos os demais.
Islão: COMO: Hégira e Jihad. 
Hégira. Muçulmanos devem se mudar para um lugar e assumirem o controle.
Jihad. A principal parte da Jihad é: muçulmanos devem assumir o controle de qualquer modo possível.  
Guerra está bem, se for preciso. Trapaça é melhor. Em geral, vale tudo para obter sucesso.
O que se tem ao final de tudo isso? O Califado.
Califado: O Islão governa o mundo. Em toda parte, todos devem seguir o Islã.
Algumas regras do Islão:
  • Você não pode deixar o Islã (ou eles podem te matar. Esta é a regra).
  • Você não tem permissão para criticar o Islã (ou eles podem te matar. Esta é a regra).
  • Você pode bater na sua esposa (apenas se ela não obedecer).
  • Você não tem permissão para criticar o Islã (ou eles podem te matar. Esta é a regra).
  • Não é OK ter cachorro em casa. 
  • Mas você pode ter escravos.
  • Todos os não muçulmanos são káfirs imundos e tem que pagar um imposto especial (jizia). Esta é a regra. 
  • Mas é contra as regras desenhar Maomé (ou eles podem te matar. Esta é a regra).
  • E você não pode nunca mudar as regras  (ou eles podem te matar. Esta é a regra).
  • O homem é sempre o chefe. A mulher nunca é o chefe.
  • Mulheres são chamadas de estúpidas e fracas. 
  • 'Não muçulmanos' são chamados de káfirs imundos, o que é muito ruim.
  • Muçulmanos são sempre os chefes. Káfirs nunca são chefes.
  • E quanto a gays e lébicas - no Islã, é morte para todos eles. 
No Islã, existem muitas regras - como cortar as mãos por roubo. Mas nós não precisamos olhar para todos os detalhes.

Eles dizem que todas as religiões estão erradas e são ruins.  Sim. De acordo com o Islã, todas as outras religiões estão erradas, então no fim vão desaparecer.

Mas eles não acreditam que cristãos e judeus são OK? Isso foi alterado há muito tempo, 1400 anos atrás. Isso foi ab-rogado.
Ab-rogar. Significa que existe uma regra. Então vem uma outra. A mais antiga cai fora. Apenas a nova regra vale. 



sábado, 8 de julho de 2017

Trump na Polônia defende Civilização Ocidental


O discurso que o presidente Donald J. Trump fez na Polônia dois dias atrás é um discurso digno de Winston Churchill or J. F. Kennedy. Mas na situação atual, onde uma grande porção da esquerda se tornou pró-islâmica e lideranças políticas de diversos países estão na cama com o capital árabe-islâmico, defender a Civilização Ocidental se tornou "discurso de ódio."  

Não, defender a Civilização Ocidental é sinal de bom-senso e sanidade.

Estamos entrando em uma fase da história quando estamos sendo forçados a escolher o lado: defender a Civilização Ocidental, com sua base judáica-cristã que permite a liberdade de expressão e cujos fundamentos levou ao desenvolvimento do Humanismo, ou defender a propagação do islamismo que é, em sua essência, anti-ateu, anti-cristão, anti-hindú, anti-judeu, anti-espírita, ... anti-tudo que não seja islâmico (vídeo). Ficar em cima do muro significa apoiar o islamismo.


Eu estou traduzindo porções do discurso de Trump na Polônia. Leia por você mesmo e me diga se você concorda ou discorda do seu conteúdo.
... 
A Polônia é o coração geográfico da Europa. Mas, mais importante ainda, no povo polonês, vemos a alma da Europa
...
A história da Polônia é a história de pessoas que nunca perderam a esperança, que nunca foram quebradas e que nunca, nunca esqueceram quem são.
(Aplausos)
AUDIÊNCIA: Donald Trump! Donald Trump! Donald Trump!
TRUMP: Muito obrigado. Obrigado. Muito obrigado. Uma grande honra.
Esta é uma nação com mais de 1000 anos de idade. Suas fronteiras foram apagadas há mais de um século e apenas restauradas há apenas um século.
Em 1920, no milagre de Vístula, a Polônia parou o exército soviético inclinado à conquista européia.
(Aplausos)
Então, 19 anos depois, em 1938, vocês foram invadidos novamente. Desta vez pela Alemanha nazista do oeste e da União Soviética a partir do leste. Isso foi um problema. Isso foi muito difícil.
Sob uma dupla ocupação, o povo polonês suportou males indescritíveis: o massacre da floresta de Katyn, a ocupação, o Holocausto, o Gueto de Varsóvia e o levante do Gueto de Varsóvia, a destruição desta bela cidade capital e as mortes de quase um em cada cinco poloneses.
...
Ainda assim, vocês nunca perderam esse espírito.
(Aplausos)
Seus opressores tentaram quebrá-lo, mas a Polônia não pôde ser quebrada. (Aplausos)
E quando chegou o dia 2 de junho de 1979 e 1 milhão de poloneses reuniram-se em torno da Praça da Vitória para a sua primeira missa com o seu papa polonês, naquele dia, todos os comunistas em Varsóvia devem ter sabido que seu sistema opressivo logo se derrubaria.
(Aplausos)
Eles devem ter percebido isso no momento exato durante o sermão do Papa João Paulo II quando um milhão de homens, mulheres e crianças polonesas levantaram de repente as vozes em uma única oração.
Um milhão de poloneses não pediram riqueza. Eles não pediram privilégios. Em vez disso, 1 milhão de poloneses disseram três palavras simples: "Nós Queremos Deus".
(Aplausos)
Nessas palavras, o povo polonês lembrou a promessa de um futuro melhor. Eles encontraram nova coragem para enfrentar seus opressores. E eles encontraram as palavras para declarar que a Polônia seria a Polônia mais uma vez.
Enquanto estou aqui hoje diante desta incrível multidão, essa nação fiél, ainda podemos ouvir aquelas vozes que ecoam pela história. Sua mensagem é tão verdadeira como sempre. O povo da Polônia, o povo da América e o povo da Europa ainda gritam: "Nós Queremos Deus".
(Aplausos)
TRUMP: Juntamente com o Papa João Paulo II, os polacos reafirmaram sua identidade como uma nação dedicada a Deus. E com essa poderosa declaração de quem você é, você entendeu o que fazer e a forma de viver.
Você se solidarizou contra a opressão, contra uma polícia secreta sem lei, contra um sistema cruel e perverso que empobreceu suas cidades e suas almas, e você ganhou. A Polônia prevaleceu. A Polônia sempre prevalecerá.
AUDIÊNCIA: Donald Trump! Donald Trump! Donald Trump!
...
TRUMP: Somos confrontados com outra ideologia opressiva, que procura exportar terrorismo e extremismo em todo o mundo.
A América e outros sofreram um ataque terrorista após o outro. Isso vai parar.
estamos lutando contra o terrorismo radical islâmico. E prevaleceremos.
(Aplausos)
Não podemos aceitar aqueles que rejeitam nossos valores e quem usa o ódio para justificar a violência contra os inocentes.
Hoje, o Ocidente também é confrontado com os poderes que procuram testar nossa vontade, minar nossa confiança e desafiar nossos interesses.
Para encontrar novas formas de agressão, incluindo propaganda, crimes financeiros e guerra cibernética, devemos adaptar nossa aliança para competir efetivamente de novas maneiras e em todos os novos campos de batalha.
Instamos a Rússia a cessar suas atividades desestabilizadoras na Ucrânia e em outros lugares e seu apoio a regimes hostis, incluindo a Síria e o Irã e, em vez disso, se juntar à comunidade de nações responsáveis ​​em nossa luta contra inimigos comuns e em defesa da própria civilização.
(Aplausos)
Finalmente, em ambos os lados do Atlântico, nossos cidadãos são confrontados com outro perigo, seguramente ao nosso controle. Esse perigo é invisível para alguns, mas familiar para os poloneses: a fúria constante da burocracia governamental que drena a vitalidade e a riqueza das pessoas.
O Ocidente tornou-se ótimo, não por papeladas e regulamentos, mas porque as pessoas podiam perseguir seus sonhos e perseguir seus destinos.
Os americanos, os poloneses e as nações da Europa valorizam a liberdade e a soberania. Devemos trabalhar juntos para enfrentar as forças, quer elas entrem ou saiam, do sul ou do leste, que ameaçam ao longo do tempo minar esses valores e apagar os laços de cultura, fé e tradição que nos tornam quem somos.
(Aplausos)
Se não forem controladas, essas forças minarão nossa coragem, prejudicarão nosso espírito e enfraquecerão nossa vontade de nos defendermos e nossas sociedades.
Mas, assim como nossos adversários e inimigos do passado aprenderam aqui na Polônia, sabemos que essas forças também estão condenadas a falhar se quisermos que falhem. E nós realmente queremos que eles falhem.
(Aplausos)
Eles estão condenados não só porque nossa aliança é forte, nossos países são resilientes e nosso poder é incomparável. Para tudo isso, você tem que dizer que tudo é verdade.
Nossos adversários, no entanto, estão condenados porque nunca esqueceremos quem somos. E se não nos esquercemos de quem somos, simplesmente não podemos ser derrotados. Os americanos nunca esquecerão. As nações da Europa nunca esquecerão. Somos a comunidade mais ágil e melhor. Não há nada como a nossa comunidade de nações. O mundo nunca conheceu nada como a nossa comunidade de nações.
Nós escrevemos sinfonias. Nós buscamos a inovação. Celebramos nossos heróis antigos, abraçamos nossas tradições e costumes intemporais e sempre procuramos explorar e descobrir novas fronteiras.
Nós recompensamos o brilho, nos esforçamos pela excelência e apreciamos obras de arte inspiradoras que honram a Deus. Nós valorizamos o estado de direito e protegemos o direito à liberdade de expressão e a prática da liberdade de expressão.
(Aplausos)
Nós capacitamos as mulheres como pilares de nossa sociedade e de nosso sucesso. Nós colocamos fé e família, não governo e burocracia, no centro de nossas vidas.
E discutimos tudo. Nós desafiamos tudo. Buscamos saber tudo, para que possamos nos conhecer melhor.
(Aplausos)
E acima de tudo, valorizamos a dignidade de toda vida humana, protegemos os direitos de cada pessoa e compartilhamos a esperança de que cada alma viva em liberdade.
Isto é quem nós somos. Esses são os laços inestimáveis ​​que nos unem como nações, como aliados e como civilização.
O que nós temos, o que nós herdamos da nossa - e vocês sabem isso melhor que ninguém e você o vê hoje, com esse incrível grupo de pessoas - o que herdamos de nossos antepassados ​​nunca existiu até aqui. E se não conseguirmos preservá-lo, nunca mais existirá. Então não podemos falhar.
Esta grande comunidade de nações tem algo em comum. Em cada um deles, são as pessoas, não as poderosas, que sempre formaram o alicerce da liberdade e a pedra angular da nossa defesa.
As pessoas foram esse alicerce aqui na Polônia, como o foram aqui em Varsóvia. E elas foram o alicerce desde o início nos Estados Unidos. 
Nossos cidadãos não ganharam a liberdade juntos, não sobreviveram aos horrores juntos, não enfrentaram o mal unidos apenas para perderem nossa liberdade com a falta de orgulho e confiança em nossos valores. Nós não fizemos isso e não vamos fazer. Nunca nos abaixaremos.
(Aplausos)
AUDIÊNCIA: Donald Trump! Donald Trump! Donald Trump!
...
É também por isso que saudamos o povo polonês por ser um dos países da OTAN que realmente alcançou o padrão de investimento em nossa defesa comum.
Obrigado. Obrigado, Polônia. Devo dizer-lhe que o exemplo que definiu é verdadeiramente magnífico e aplaudimos a Polônia. Obrigado.
(Aplausos)
Temos que lembrar que nossa defesa não é apenas um compromisso de dinheiro, é um compromisso de vontade. Porque, como a experiência polonesa nos lembra, a defesa do Ocidente, em última instância, repousa não só nos meios, mas também na vontade de seu povo de prevalecer e ser bem sucedido e obter o que for preciso.
A questão fundamental do nosso tempo é se o Ocidente tem a vontade de sobreviver. Temos a confiança em nossos valores para defendê-los a qualquer custo? Temos o suficiente respeito pelos nossos cidadãos para proteger nossas fronteiras? Temos o desejo e a coragem de preservar nossa civilização frente a quem deseja subverte-la e destruí-la?
Nós podemos ter as maiores economias e as armas mais letais em qualquer lugar da Terra, mas se não possuímos famílias fortes e valores fortes, então seremos fracos e não vamos sobreviver.
(Aplausos)
Se alguém esquecer a importância crítica dessas coisas, que venha a um país que nunca esqueceu disso, deixe-os vir para a Polônia ...
...
... e que cada centímetro de terreno e cada último metro de civilização valha a pena defender com a sua vida.
Nossa própria luta pelo Ocidente não começa no campo de batalha. Começa com nossas mentes, nossas vontades e nossas almas. Hoje, os laços que unem nossa civilização não são menos vitais e não exigem menos defesa do que aquela ninhada de terra em que a esperança da Polônia foi totalmente descansada.
Nossa liberdade, nossa civilização e nossa sobrevivência dependem desses vínculos de história, cultura e memória. E hoje, como sempre, a Polônia está em nosso coração, e seu povo está nessa luta.
(Aplausos)
Assim como a Polônia não pôde ser quebrada, declaro hoje que o mundo ouviu que o Ocidente nunca será quebrado. Nossos valores prevalecerão, nossa gente prosperará, e nossa civilização triunfará.
(Aplausos)
AUDIÊNCIA: Donald Trump! Donald Trump! Donald Trump!
TRUMP: Obrigado.
Então juntos vamos todos lutar como os poloneses, pela família, pela liberdade, pelo país e por Deus.
Obrigado. Deus o abençoe, Deus abençoe o povo polonês, Deus abençoe nossos aliados e Deus abençoe os Estados Unidos da América.
Obrigado. Deus te abençoê. Muito obrigado.




quinta-feira, 6 de julho de 2017

Como se preparar para um evento 'conheça seus vizinhos muçulmanos'



PJMedia, Hugh Fitzgerald, 19 de maio 2017


Foto: Líder trabalhista Jeremy Corbyn discursa durante o dia de abertura do evento na mesquita de Park Finsbury na Londres setentrional. 'Dia Visite Minha Mesquita', Londres, Reino Unido. Em 5 de fevereiro de 2017, 'Dia Visite Minha Mesquita', mais de 150 mesquitas por todo o Reino Unido abrem suas portas ao público, oferecendo uma melhor compreensão da religião em um esforço de combater a islamofobia crescente.


Você tem visitado sua mesquita ultimamente?

"Conheça seus vizinhos muçulmanos", "Pergunte a um muçulmano", "Café, bolo e Islã". Estes são alguns dos acolhedores nomes para estes eventos que você pode ter visto anunciados recentemente, eventos nos quais imans locais e outros prometem contar aos visitantes "a verdade sobre a nossa fé".

Estes eventos são altamente roteirizados - e altamente previsíveis. O que eles de fato oferecem: uma apresentação bem ensaiada que depura o Islã, afirmando o conceito cor-de-rosa e politicamente correto da religião que domina a esquerda política.

O evento geralmente começa com um boas-vindas caloroso. O anfitrião muçulmano menciona estar emocionado que tantos tenham vindo ao "Conheça seus vizinhos muçulmanos" porque "tantos de vocês, eu sei, querem aprender mais sobre a nossa fé". Mais importante, "vocês provavelmente estão confusos por todas as histórias na mídia, portanto achamos que deveríamos esclarecer tudo. Porque não há melhor meio de aprender sobre o Islã do que conhecendo os muçulmanos eles mesmos para dizerem a você do que se trata tudo isto." Então uma breve apresentação é oferecida, com perguntas e respostas logo após. E - uma importante parte da ofensiva de charme - geralmente algo da incrível culinária do Oriente Médio é oferecida no fim do dia, deixando todo mundo saciado e contente.

A apresentação geralmente começa com uma declaração pelos anfitriões de que "Islã significa paz", e isto é flagrantemente falso. Qualquer pessoa que fale árabe saberia que Islã significa "submissão".

Mas quem seria mal-educado o suficiente para tomar partido contra um muçulmano acolhedor dizendo a você que ele acredita que Islã significa "paz"? Provavelmente alguns convidados podem pensar que há lugar para dúvida acerca da tradução, porém de toda forma, por que eles criariam caso justamente quando todos estão tentando se relacionar bem?

Então vêm os Cinco Pilares do Islã, que sempre têm lugar de honra: a Shahada (profissão de fé), Salat (as cinco preces canônicas), Zakat (a caridade obrigatória), Sawn (o jejum do Ramadan) e a Hajj (peregrinação a Meca que um fiel deve fazer, se puder custear, pelo menos uma vez na vida).

A lista é agradavelmente exótica, grande divertimento para os convidados tomarem notas e decorar. Porém isto não é necessário, já que foi dado a eles um panfleto que lista todos os Cinco Pilares do Islã e suas definições supostamente corroboradas. Os Cinco Pilares do Islã podem parecer reconfortantes também porque eles sim soam familiares aos convidados judaico-cristãos: uma profissão de fé, preces, jejum, caridade e peregrinação.

Não obstante, estas apresentações nunca informam à audiência que os Cinco Pilares do Islã não são elementos compartilhados pelas religiões abraâmicas, porém são de fato derivações das raízes destas últimas.

Por exemplo: Salat, as cinco preces diárias, incluem a recitação repetida - 17 vezes ao dia - de uma frase condenando judeus e cristãos, originada de Fatiha, o primeiro sura (capítulo) do Alcorão. Os dois últimos versos do Fatiha pedem a Allah:

"Guia-nos à senda reta. À senda dos que agraciaste, não à dos que fazem por merecer Vossa ira, nem aqueles que seguiram o caminho errado."

De acordo com virtualmente todo comentário muçulmano corânico, inclusive aquele julgado como o mais corroborado tanto atualmente quanto ao longo de toda a história islâmica, aqueles que "fazem por merecer Vossa ira" são os judeus e aqueles que " seguiram o caminho errado" são os cristãos. Estas descrições de judeus e cristãos aparecem em outras partes do Alcorão, anulando qualquer dúvida. Em ambos os casos, tanto judeus quanto cristãos devem ser evitados pelos muçulmanos. Ambos são povos amaldiçoados.

Mas que anfitrião muçulmano admitiria que "nós amaldiçoamos infiéis 17 vezes ao dia"? E que convidado infiel que frequenta tal evento saberia o suficiente sobre o Fatiha para perguntar sobre o assunto?

De forma semelhante, a Zakat é descrita como uma oferta de caridade requerida a muçulmanos, e isto certamente os coloca sob boa luz. Porém o que não será explicado é que a caridade é para ser oferecida somente a correligionários muçulmanos. Estes podem incluir recém-conversos ao Islã que possam estar hesitantes e necessitam de um tipo de suborno, sob a forma de Zakat, de forma a garantir sua lealdade contínua. Nada disto será dito aos convidados infiéis nestes eventos e, novamente, estes provavelmente não saberiam perguntar sobre o tema.

Então vem a parte referente ao Alcorão. Os anfitriões irão explicar que "muçulmanos acreditam que o Alcorão é a palavra imutável de Deus". As "suratas", isto é, "nossos capítulos", bem como alguns dos títulos dos 114 suratas, serão apresentados - "A Vaca", "A Abelha", "Os Ornamentos de Ouro", "A Pequena Gentileza" - para entreter os convidados infiéis. É tudo tão novo e tão exótico! Os anfitriões muçulmanos podem mencionar que "da mesma forma que vocês têm os concursos bíblicos, nós temos concursos alcorânicos para ver quem memorizou todo o Alcorão. Chamamos tal pessoa um hafiz. Nós temos concursos para ver quem pode recitar o Alcorão da forma mais linda". Continuando por esta veia insólita, eles podem explicar porque muçulmanos tratam o Alcorão físico com tanto respeito. E porque muçulmanos deveriam idealmente ler o Alcorão em árabe. Quão bonito ele soa àqueles que conhecem a língua.

Muito tempo é gasto e os convidados se iludem que estão aprendendo alguma coisa substancial. Não estão.

No Alcorão propriamente dito: quaisquer que sejam outros versículos que os anfitriões muçulmanos escolham para discutir, dois que quase certamente serão mencionados são o 2:256 e o 5:32. O Alcorão 2:256 declara:

"Não há imposição quanto à religião (N.R.: isto é, não se deve impor o Islã à força)

Isto soa inambíguo. Mas se conhecermos um pouco sobre o Islã, o que nossos anfitriões muçulmanos esperam que não, nós saberemos que a penalidade por apostasia no Islã é a morte. Poderia haver algum tipo mais severo de "compulsão na religião"?

Se soubermos também sobre o tratamento dado ao dhimmi (N.T.: termo que designa o não-muçulmano como cidadão de segunda classe, em uma sociedade muçulmana) - uma palavra que nunca será mencionada pelos anfitriões muçulmanos - nós teremos uma visão ainda mais cética do versículo 2:256. Um não-crente tem somente três escolhas em um Estado muçulmano, de acordo com o Alcorão: converter-se ao Islã, ser morto ou passar a vida como um dhimmi pagando uma pesada taxa chamada Jizyah (N.T.: compensação paga por não-muçulmanos a muçulmanos em troca de proteção, dentro de uma sociedade islâmica) e submetendo-se a muitas outras humilhações. Isto é, é claro, tão severo quanto uma "compulsão" possa ser. Porém a maior parte dos infiéis tomaria o Alcorão versículo 2:256 no seu sentido literal apenas, durante estes eventos.

O segundo verso que certamente será citado é o 5:32:

"... quem matar uma pessoa, ... será considerado como se tivesse assassinado toda a humanidade; quem a salvar, será reputado como se tivesse salvo toda a humanidade.

Bem, isto soa como uma prova acerca do Islã “verdadeiro e pacífico” do qual todos nós temos escutado. Mas o anfitrião muçulmano nunca lê o versículo seguinte, 5:33, por causa detodas as nuances da palavra "inocente":

"O castigo, para aqueles que lutam contra Allah e contra Seu Mensageiro, e semeiam a corrupção na terra, é que sejam mortos, ou crucificados, ou lhes seja decepada a mão e o pé de lados opostos (N.T.: isto é, a mão direita e o pé esquerdo ou a mão esquerda e o pé direito), ou banidos. Tal será para eles uma desonra neste mundo e, no Outro, sofrerão um severo castigo."

E quem seriam "aqueles que lutam contra Alá e contra Seu Mensageiro"? Os infiéis, é claro. Porém, quem dentre os convidados nestas noites 'conheça seus vizinhos muçulmanos' saberá o suficiente para fazer perguntas acerca desta insidiosidade em citar o versículo 5:32 sem o 5:33?

Da mesma forma que há um punhado de versículos que certamente serão citados, há outros que cuidadosamente serão deixados quietos. Nenhum muçulmano nestas noites 'conheça seus vizinhos muçulmanos' quer que você saiba sobre Alcorão 9:29:

"Combatei aqueles que não crêem em Alá e no Dia do Juízo Final, nem se abstêm do que Alá e Seu Mensageiro proibiram, e nem professam a verdadeira religião mesmo se eles pertencerem ao Povo do Livro (judeus), até que paguem de bom grado a Jizya e se sintam submissos."

Tampouco eles irão querer que você conheça o Alcorão versículo 9:5:

"Mas quando os meses sagrados tiverem transcorrido, matai os idólatras, onde quer que os acheis; capturai-os, acossai-os e espreitai-os; porém, caso se arrependam, observem a oração e paguem a Zakat, abri-lhes o caminho. Sabei que Alá é indulgente, Misericordiosíssimo."

Há mais de 100outros versículos de jihad (N.T.: luta ou esforço para implantar o Islã), de modo semelhantemente violentos, inclusive diversos que comandam os fiéis a "lançarem o terror" nos corações dos infiéis, que também serão deixados cuidadosamente incomentados.

E isto não é tudo que será deixado de fora. Que tal Maomé, o Homem Perfeito? Que muçulmano nestes eventos teria a iniciativa de discutir a pequena Aisha, com a qual Maomé casou (e consumou o casamento) quando ela tinha nove anos de idade e ele estava nos meados de seus 50 anos? Que muçulmano falaria como Maomé assassinou algumas pessoas que zombaram dele (Asma bint Marwan, Abu 'Afak, Ka'b ibn al-Ashraf)? Que muçulmano iria querer falar sobre Maomé como senhor de escravos?

Que muçulmano discutirá a ordem e a participação de Maomé no massacre de 600 a 900 prisioneiros da tribo judaica Banu Qurayza?

Que muçulmano falará sobra o ataque de Maomé no oásis Khaybar, onde ele tomou Safiyya após ter morto seu marido, seu pai e outros parentes, tendo então se "casado" com ela?

Que muçulmano irá querer discutir Kinana, um judeu de Khaybar brutalmente torturado por ordens expressas de Maomé, apenas para extrair informação acerca de um tesouro escondido?

Que muçulmano iria querer explicar, diante de tudo isto, que muçulmanos consideram Maomé o "Homem Perfeiro" (al-insan al-kamil) e o "Modelo de Conduta" (uswa hasana)?

Não importa como, vá a estes eventos. Evitá-los simplesmente deixa o caminho livre para defensores e propagandistas de Maomé. Você tem o dever de informar seus companheiros infieis sobre estas representações errôneas e evasões.

Vá preparado: aprenda sobre a maldição contra o kuffar (N.T.: termo pejorativo para infiel) na Fatiha, sobre a Zakat, sobre os dois versos corânicos os quais serão obrigatoriamente empurrados sobre você e sobre os versos da jihad que serão escondidos de você. Traga anotados uma dúzia dos versos mais perturbadores, prontos para serem usados. Conheça os detalhes mais picantes da vida de Maomé que sugerem que ele não era "Modelo de Conduta", começando com aqueles referentes à pequena Aisha. Peça ao seu anfitrião que comente sobre Aisha, ou Asma bint Marwan, ou os Banu Qurayza. Peça, tão inocentemente quanto puder, por que o Alcorão 98:6 descreve infiéis como 'as mais vis das criaturas'.

Você pode ajudar a comprometer a farsa meretriz destes eventos 'conheça seus vizinhos muçulmanos'. Mesmo um pequeno aprendizado sobre o Alcorão e Maomé pode ser, se você for corretamente orientado, uma coisa perigosa para os seus anfitriões e um serviço para a sua comunidade.



segunda-feira, 3 de julho de 2017

Maomé tinha o "poder sexual" de 30 homens, e o sonho do paraíso islâmico



Quando se deseja engrandecer um líder é comum atribuir a ele atributos que o coloquem acima da média, que o destaquem como nenhum outro. No caso específico de Maomé, o que é comum fazer é aceitar como correto e exemplar as coisas erradas que ele fez, tais como se casar uma menina de 6 anos, ter tido mais de 20 mulheres (entre esposas, escravas sexuais e amantes), ter assaltado caravanas, ter assassinado aqueles que mostravam o erro das suas ações, e muito mais. Mas é comum também atribuir a ele uma capacidade sexual acima do comum. E quem diz são as próprias fontes islâmicas.

Muitos muçulmanos não apenas acreditam mas se orgulham da crença que Maomé era um homem dotado de super poderes humanos no campo da sexualidade. Muitos acreditam que Maomé costumava dormir com todas as mulheres em uma noite. Considerando que Maomé tinha mais de 50 anos quando ele construiu o seu harém, é mais provável que ele visitasse a tenda das esposas e escravas para "passar a mão nelas", ou "dar uma olhadinha."

Aqui está um hadice autêntico documentando a grande proeza sexual de um Maomé das "mil e uma noites":

Bukhari, Volume 1, Livro 5, Número 268:
Narrado por Qatada: Anas bin Malik said, "O Profeta costumava visitar todas as suas esposas em uma rodada, durante o dia e a noite, e elas eram um total de onze." Eu perguntei a Anas: "O Profeta tinha força para isso?" Anas respondeu: "Nós costumávamos dizer que o Profeta recebeu a força de trinta (homens)". E Sa'id disse, na autoridade do Qatada, que Anas lhe havia dito apenas nove mulheres (e não as onze).

Veja como Maomé era poderoso com as mulheres! Mas se algumas dessas mulheres fossem escravas e concubinas, isso não vem ao caso. É provável que as mulheres, escravas ou não, aceitavam o seu assédio por medo de perderem a vida. Afinal, ele matou o marido de algumas delas.

Esta crença tem consequências sérias. Uma delas é que enfatiza o fato do islamismo desequilibrar sexualmente as pessoas, sejam homens ou mulheres. A outra é o fato de que muitos muçulmanos estarem dispostos a matar com a promessa do paraíso islâmico, no qual eles irão ter a capacidade sexual de Maomé!

O Alcorão contém muitas passagens que descrevem as recompensas carnais do paraíso islâmico.
Alcorão, 056.012-039: Eles se reclinarão em sofás de jóias face a face, e, esperando por eles, jovens imortais com tigelas e pratos e um cálice de vinho mais puro (que não irá doer na cabeça nem tirar sua razão); Com o fruto de sua escolha e carne de aves que saboreiam. E deles serão as houris [mulheres] de olhos escuros, castas como pérolas escondidas: uma recompensa por seus atos ... Nós criamos as houris e as tornamos virgens, companheiras amorosas para aqueles à mão direita ...
055.054-059: Eles irão se reclinar em sofás revestidos com grosso brocado, e ao seu alcance estarão pendurados os frutos de ambos os jardins. Quais das bênçãos do seu Senhor você negaria? Ali estão as virgens maravilhosas que nem o homem nem os gênios tocaram antes. Quais das bênçãos do seu Senhor você negaria? Virgens tão brancas como corais e rubis. Quais das bênçãos do seu Senhor você negaria?
055.072-075: virgens de olhos escuros, abrigadas em suas tendas (quais das bênçãos do seu Senhor você negaria?), a quem nem homem nem gênio terão visitado antes. Quais das bênçãos do seu Senhor você negaria?
Os homens muçulmanos realmente esperam 72 virgens quando eles morrem e vão para o paraíso! Os muçulmanos acreditam neste absurdo por ser especificado em Hadices da coleção Al-Tirmidhi (824-892):
"O Profeta Muhammad foi ouvido dizendo: 'A menor recompensa para o povo do paraíso é uma morada onde há 80.000 criados e 72 houris [mulheres], sobre o qual fica uma cúpula decorada com pérolas, água-marinha e rubi, tão larga como a distância de Al-Jabiyyah [um subúrbio de Damasco] a Sana'a [Iêmen]'." (Vol. 4, Book 12, Hadith 2562 ou Book 38, Hadith 2760 (referência em árabe))
Anas relatou que o Profeta (a paz esteja com ele) disse: "O crente deve ser dado no paraíso tal e tal força na relação sexual". Foi dito: "Ó Mensageiro de Alá! E ele será capaz de fazer isso?" Ele disse: "Ele receberá a força de cem." (Vol. 4, Book 12, Hadith 2536 ou Book 38, Hadith 2732 (referência em árabe))
Os prazeres sensuais que os muçulmanos esperam experimentar no Paraíso foram descritos em detalhes gráficos por estudiosos egípcios e teólogos islâmicos. Imam Al-Suyuti, que morreu em 1505, escreveu:
"Cada vez que dormimos com uma houri, a encontramos virgem. Além disso, o pênis do eleito nunca amolece. A erecção é eterna; A sensação que você sente cada vez que você faz amor é absolutamente deliciosa e fora deste mundo e se você experimentasse isso neste mundo que você desmaiaria. Cada um dos escolhidos [ou seja, um muçulmano] se casará com setenta houris, além das mulheres que ele casou na Terra, e todas terão vaginas apetitosas."
Embora o medo e o ódio sejam o verdadeiro motor do Islã, o sexo e outros luxos são uma motivação importantíssima! Não é de se admirar que muitos muçulmanos estejam ansiosos para matar e morrer para irem logo para o paraíso islâmico!





sábado, 1 de julho de 2017

Exemplos de "Direitos" das Mulheres sob o Islã - PARTE 3


Leia uma lista dos "direitos" das mulheres sob o islão AQUI.

Exemplos mais antigos estão listados na PARTE 1 (até set/2013) e na PARTE 2 (até dez/2016).

(Você pode estar se perguntando: porque é que eu tenho que me preocupar com isso? Porque esta droga está se espalhando pelo mundo, inclusive no Brasil!)
A imigração muçulmana aliada ao políticamente correto do Ocidente estão tornando as mulheres ocidentais igualmente sem defesa frente ao avanço implacável da Sharia.

Atualizações em junho de 2017

Alemanha: Onda de Assassinatos em Nome da Honra
Artigo do Gatestone Institute relata diversos incidentes. Ótima referência!
Segundo o Instituto Max Planck, 14 assassinatos "em nome da honra" ocorreram entre 1998 e 2004. Contudo, em 2016, o número saltou para mais de 60.

Suécia: instrutor de condução muçulmano diz: "Se não fosse o Ramadã, eu teria "fodido você toda"
Um instrutor de direção de 60 anos de origem árabe é acusado de agressão sexual em várias de suas estudantes. De acordo com a acusação, ele agarrava as mulheres nas coxas e seios. Ele também pegou a mão de uma aluna e colocou-a em suas próprias calças, dizendo em seguida "Por que você não coloca na sua boca?" Ele usou a mão da mulher para se masturbar e, em seguida, empurrou a parte superior do corpo contra sua virilha e forçou-a a fazer sexo oral com ele. (10News)

Suécia: autoridades admitem que 150.000 mulheres sofrem Mutilação Genital Feminina (MGF)
O relatório foi parcialmente escrito pela SVT, a mídia estatal sueca.  Um relatório de 2015 concluiu que "apenas" 38 mil mulheres sofreram mutilação genital. Este aumento acentuado provavelmente resulta da decisão dos políticos suecos de cumprir a Convenção da ONU sobre Refugiados e os regulamentos da UE sobre as quotas de refugiados. (10news)

Canadá: marido (Mohammad Rafia) não sabia que bater na esposa era ilegal
O refugiado sírio de 54 anos, que mora na cidade de Fredericton, capital da província de New Brunswick a 6 meses, alegou que desconhecia a lei canadense que criminaliza violência doméstica. Ele ameaçou matá-la se ele o deixasse, puxou o seu cabelo e a esbofeteou no rosto. Depois, ele a espancou com um bastão de hoquéi por meia hora. No seu depoimento, a esposa disse que "apanhar do marido é algo aceitável culturalmente no país de onde eles vieram", a Síria. (Telegraph)

Canadá: casamentos forçados são mais comuns do que se imaginava
Samra Zafar foi forçada a se mudar dos Emirados Árabes Unidos, onde morava com sua família, para o Canadá, para se casar. Ela tinha 16 anos. Após 10 anos de abuso, e duas filhas, ela conseguiu se livrar do marido, e agora denuncia casamentos de crianças e casamento forçados, que são comuns na comunidade muçulmana canadense. (CTV)

EUA: médicos muçulmanos fizeram mais de 100 mutilações da genitália feminina
O julgamento dos médicos muçulmanos continua. O advogado de acusação apresentou evidências que os médicos cortaram o clítoris de mais de 100 meninas (muçulmanas). Os acusados são o Dr. Jamana Nagarwala, o dono da clínica onde as mutilações ocorreram, Dr. Fakhruddin Attar, e sua esposa, Farida Attar, que ajudava segurando os braços das meninas durante o procedimento (Detroit Free Press).
A defesa alega que o julgamento fere o direito dos médicos de praticarem a religião islâmica. Se a justiça americana não os condenar, ela estará definindo um precedente terrível, na prática, legalizando a remoção ritual do clítoris de meninas.

"Uma mulher pode ir para o céu desde que ela esteja acompanhada por um parente do sexo masculino"
Quem disse isso foi o clérigo Imã Ela Ikh Salah Al-Budair. Pela primeira vez na história do país, um líder religioso importante declarou que é possível para as mulheres serem admitidas no céu, desde que elas estejam acompanhadas por "parentes Mahram" (parentes do sexo masculino). Um grupo de estudiosos conservadores e líderes religiosos de toda a Arábia Saudita, supervisionada pelo Ministério de Assuntos Islâmicos do país, assinaram uma declaração que condena o sermão do Imam como uma blasfêmia, e reafirmando que "só os homens são dignos de ir para o Céu". (worldnewsdailyreport)

Arábia Saudita: mulher é transformada em bola em anúncio de piscina portátil
A Arábia Saudita censurou a mulher do anúncio original, transformando-a em uma bola.

Paquistão: homem mata filha em "crime de honra"
A menina de 24 anos estava na companhia de um outro homem. Nem o pai, nem o tio, gostaram. Ela foi baleada e morreu. (Dawn

Turquia diz que mesquita alemã onde homens e mulheres rezam lado a lado é "incompatível" com o Islã
De acordo com a agência de assuntos religiosos da Turquia, a mesquita "negligencia" os princípios básicos do Islã, sendo "incompatível com o culto, conhecimento e metodologia", acumulada desde que a fé foi fundada pelo profeta Maomé há 14 séculos. (France24)

Atualizações em maio de 2017

Escritora brasileira relata em livro sua experiência como esposa de um muçulmano
Helen Dantas lançou o seu livro Dois Mundos: Uma só Mulher, no qual ela relata as suas experiências como esposa de um muçulmano, um refugiado afegão. Este livro serve de alerta sobre os problemas inerentes a este tipo de relacionamento. 

Artigo destrói a argumentação de muçulmanos e apologistas que dizem que o islamismo é feminista, que ele defende as mulheres, e que representou um avanço para as mulheres.

Feliz Dia das Mães
E neste Dia das Mães, lembramos das mães terroristas muçulmanas, sempre dispostas a transmitir seus valores aos filhos.


Repórter italiana atacada por "refugiados" 
O vídeo não confirma que refugiados a atacaram, mas dá para imaginar que são.

https://youtu.be/IkrPZ1uFK2Q OK

França: mulheres sendo caçadas no bairro de Chapelle-Pajol, Paris 
As mulheres desta parte do Leste de Paris queixam-se de que não podem se mover sem serem submetidas a comentários e insultos dos homens, mas não de qualquer tipo de homem. Cafés, bares e restaurantes são proibidos, assim como as calçadas, a estação de metrô e as praças. Por mais de um ano, o distrito de Chapelle-Pajol (10º e 18º distritos administrativos) mudou completamente de aspecto: grupos de dezenas de homens solitários, vendedores de rua, estrangeiros, migrantes e contrabandistas mantêm as ruas, assediando mulheres. (Le ParisienDaily Mail)

Paquistão: o feminismo na sociedade islâmica
Jamaat-e-Islami é o braço da Irmandade Muçulmana no Paquistão. Segundo os nossos parceiros jornalistas paquistaneses, tais grupos "feministas" são usados para lavar o dinheiro vindo de entidades internacionais que financiam o terrorismo islâmico e NUNCA defendem mulher alguma.
Paquistão: muçulmano assassina sua irmã de 18 anos com machado
O homem achou que sua irmã deseonrou a família ao se casar sem permissão (ecoandoavozdosmartires).

Anúncio de Shampoo na Malásia
Um pais onde 61% da população é adepta do islamismo. Ridículo! 


Grã-Bretanha: Conselhos da Sharia e Abuso Sexual
A erosão dos direitos das mulheres ocorrendo sob a desculpa esfarrapada do "multiculturalismo" (Gatestone). 

Grã-Bretanha: uma em cada cinco mortes infantis num bairro de Londres deve-se à consaguinidade dos pais
Este é um problema que acompanha o casamento cosanguíneo que é hiper-super-comum no mundo islâmico ... e que se espalha pela Europa, junto com o casamento forçado entre primos. (sapo)

Grã-Bretanha: muçulmana desafia outras mulheres a usarem o hijab por 15 minutos
Hipócrita! Por que ela não faz um experimento para saber como as mulheres que não usarm o hijab se sentem ao não usá-lo na Arábia Saudita e no Irã? (Delas)

Assim eram as 100 concubinas do harém do Xá da Pérsia no Século XIX
Fotos mostram como eram as "gatinhas" do harém do Xá (mdig).

Atualizações em abril de 2017

Suécia: clérigo muçulmano afirma que violar crianças faz parte da cultura islâmica
Documentário da emissora dinamarquesa TV2 mostra o pregador Abu Bilal Ismail, filmado secretamente, dizendo ainda que (Amigo de Israel):
"Se uma mulher casada ou divorciada se envolver em fornicação, e se ela não for virgem, deve ser apedrejada até à morte".
"Se alguém violar o seu casamento, homem ou mulher, eles cometem adultério, e é, portanto, halal [aceitável sob a lei muçulmana] matá-los por lapidação".
"Se alguém mata um muçulmano, então deve ser morto", diz ele, antes de acrescentar que qualquer um que deixa o Islão (Apostasia) também deve ser assassinado.
Arábia Saudita: estudantes vestindo niqab controladas como gado
Um vídeo feito na porta de uma escola feminina em Riyadh, mostra um guarda controlando as estudantes, certificando-se que elas estão islâmicamente cobertas e que elas estão enjauladas até que os seus respectivos guardiões cheguem para buscá-las. (Daily Mail)
  

EUA: médica muçulmana presa pela prática da mutilação genital feminina
Jumana Nagarwala, de 44 anos, foi presa e acusada de levar a cabo a mutilação genital feminina em meninas de seis a oito anos. por 12 anos em uma clínica médica em Livonia, Michigan. Se condenada, ela enfrenta uma sentença de prisão perpétua por trás das grades. (BBC)

Como é um Mercado de Escravos (islâmico, é claro)
Ativistas curdos mostram isso em forma de teatro nas ruas de Londres.
https://youtu.be/n8HLwJhvOSc OK



Escola islâmica australiana proíbe meninas de correr para não perderem virgindade
As autoridades da Austrália deram hoje início a um inquérito sobre o assunto. (sapo)

Irã: campeã de xadrez, de 18 anos, foi expulsa da equipe nacional por se recusar a cobrir seu cabelo
Em fevereiro, Dorsa Derakhshani, uma grande mestre de xadrez foi expulsa da equipe nacional de xadrez iraniana depois de competir em um torneio internacional sem hijab. Derakshani não representava o Irã no Tradewise Gibraltar Chess Festival. Seu irmão Borna, 15, também foi banido por jogar com o israelense Alexander Huzman no mesmo torneio. (RT twiter)

Estrela de futebol iraniana proibida de competir por não usar hijab durante jogo amistoso
Shiva Amini esteve em uma turnê pela Suíça e Itália quando participou de um jogo de exibição ao lado de jogadores masculinos recentemente. A ofensa de Amini foi descoberta depois que fotografias do jogo na capital suíça, Zurique, foram postadas no Instagram mostrando seus calções e brincando sem um véu.

Atualizações em março de 2017

Alemanha: duas mulheres, um fiscal e uma médica, atacadas
Um jovem de 19 anos assediou duas mulheres em um trem. O fiscal do trem que interviu foi também atacado. A polícia levou o jovem para o hospital onde ele atacou a médica. Como o artigo omite a origem do jovem, ele deve ser imigrante muçulmano, aplicando-se a lógica reversa do ocidente pró-islâmico. (Bild)

Grã-Bretanha: mulheres paquistanesas mutiladas com ácido jogado no rosto devido a "casamentos forçados"
Em 2012 movimentos populares organizados pela sociedade civil obrigaram o governo britânico a tornar esta uma ofensa criminal. A maioria dos casos envolveu mulheres menores de 18 anos, a maioria das vítimas foram identificadas como sendo migrantes do Paquistão, sendo que em 43% dos casos as vítimas eram descendentes de migrantes paquistaneses nascidos na Grã-Betanha, ou seja, cidadãs inglesas. As demais eram de Bangladesh com 121 casos, da Somália com 47 casos, do Afeganistão com 39 casos e a Arábia Saudita que teve 16 casos. O relatório afirma: "Em 2016, a "Unidade de Casamento Forçado" deu conselhos ou apoio relacionado a um possível casamento forçado em 1.428 casos." De acordo com o relatório 157 dos casos não tinha nenhum elemento ultramarino, ou seja, o que significa que o casamento forçado ocorreu inteiramente dentro do Reino Unido. (Mirror)

Grã-Bretanha: casamentos forçados crescem 17%
Um número recorde de crianças está sendo forçada a se casar. Estatísticas divulgadas no relatório dos ministérios do Interior e do Exterior mostram que a quantidade total de casamentos forçados saltou de 1.220 casos em 2015 para 1.428 em 2016, um aumento de 17%. (Express)

Grã-Bretanha: documentário mostra ação dos Tribunais da Sharia, e as mulheres se lascam 
Existem entre 85 e 100 tribunais de Sharia no Reino Unido, com permissão para resolver problemas de família e disputas financeiras na comunidade muçulmana. Mas as mulheres, e logo, os filhos, são tremendamente prejudicadas. Exemplos mostrados incluem (Daily Mail):
  • Aplicação do talaq triplo. Para se divorciar, basta ao marido dizer 3 vezes "Eu me divorcio de você"; para a esposa o processo é mais penoso. 
  • Fátima, uma mulher de 33 anos e mãe de quatro filhos tentou obter "permissão para se divorciar do marido traficante que tem abusado dela durante todo o seu casamento de 14 anos."
  • Um tribunal Sharia proferiu sentenças de aprovação das mortes por honra, e outro ordenou uma mulher traumatizada a voltar ao seu abusivo marido.
Abu Dabi: Casal estrangeiro é preso por "sexo antes do casamento"
Enquanto que o prefeito de São Paulo corre para vender o patrimônio do paulistano para o capital islâmico, em Abu Dabhi um casal de extrangeiros foi preso acusados de "sexo ilícito" já que eles não são casados. João Dória, Isso é a lei islâmica em ação. E você está trazendo-a para o Brasil. (Tião Cazeiro)

Rússia: clérigo muçulmano pede ablação de todas as mulheres na Rússia
Ablação é o nome técnico para a mutilação da genitália feminina, ou seja, a remoção do clítoris (IstoÉ).

Turquia: radicais gritando Allahu Akbar atacam ato no Dia Internacional da Mulher
"Um grupo de 15 a 20 pessoas atacou nesta quarta-feira aos gritos de “Alá é grande” um ato pelo Dia Internacional da Mulher que estava sendo realizando na Universidade Bilgi, em Istambul, na Turquia." (Turkeypurgeturkishminute)
https://www.turkishminute.com/2017/03/08/video-women-celebrating-intl-womens-day-attacked-mob-istanbul/

Mulher sem véu: carne exposta, pronta para os "predadores islâmicos"


Indonésia: Mutilação da Genitália Feminina



Atualizações em fevereiro de 2017

Grã-Bretanha: predadores sexuais muçulmanos de Rotherham gritam "Allahu akbar" ao ouvirem suas sentenças de prisão
Uma gangue de seis predadores sexuais muçulmanos gritaram 'Allahu Akbar' ao serem condenados por um total de 81 anos sobre o abuso sexual "sórdido" de duas meninas em Rotherham. Três irmãos e três outros homens foram condenados por crimes como estupro, agressão indecente e prisão falsa depois que as vítimas pré-adolescentes foram "sistematicamente aliciadas". (BreitbartMirror)
escândalo sexual de Rotherham, no qual 1.400 meninas foram abusadas sexualmente por gangues de estupro muçulmanas, em sí só já era bastante ruim. Depois, vieram notícias chocantes de que até um milhão de garotas britânicas foram abusadas sexualmente por gangues muçulmanas, um comportamento sancionado pelo Alcorão.

Um caso de mutilação genital feminina relatado a cada hora no Reino Unido
Entre abril de 2015 e março de 2016 houve 8.656 vezes em que mulheres ou meninas foram atendidas em consultórios médicos ou hospitais e o problema foi avaliado - o equivalente a um a cada 61 minutos. (Independent) A inépcia do governo britânico em prender quem faz e os pais ou responsáveis é algo igualmente criminoso.

Afeganistão: esposa-criança tem suas orelhas arrancadas por "falar com outros homens"
Zarina, que casou aos 13 anos, teve suas orelhas arrancadas pelo seu marido. Ele a proibia de se comunicar até mesmo com a sua família, e ela desejava o divórcio. Ele esta foragido. (Daily Mail)

Afeganistão: multidão ataca delegacia e mata os namorados
Uma multidão armada, incluindo os parentes da mulher, atacou uma delegacia, arrastando o jovem casal de namorados e os matando em seguida. (NYTimes)

Meninas iázidis são vendidas como escravas sexuais enquanto mulheres marcham contra Trump
Mulheres cheias de privilégios reclamando que têm que pagar impostos quando compram absorventes ... mas se calam com respeito às mulheres iázides ou cristãs que são escravizadas sexualmente pelo Estado Islâmico. (Gatestone)

Canadá: refugiado sírio assedia sexualmente 6 adolescentes em piscina pública
Soleiman Hajj Soleiman, de 39 anos, e pai de 6 filhos, foi preso após 6 meninas terem chamado a ajuda do salva-vidas da piscina do West Edmonton Mall World Waterpark. O refugiado sírio estava as assediando sexualmente na piscina. (GlobalNews)

Canadá: crime em defesa da honra ... mulher morta por não usar o véu islâmico
A paquistanesa Bano Shahdady jogou fora seu niqab e largou o marido. O marido, também paquistanês, a matou disfarçado em um niqab. A vítima foi estrangulada, tendo lutado por sua vida por 30 minutos. O crime ocorreu em Toronto, em 2011, e o marido foi condenado a 17 anos de prisão. (Tarek Fatah)

Suécia: 38.000 mulheres mutiladas genitalmente
O Departamento de Saúde estima que existem 38.000 meninas e mulheres mutilados genitalmente na Suécia. O relatório diz também que muitas delas tentam esconder o fato porque não querem causar problemas para seus pais. O trabalho envolve as meninas e mulheres que chegam à Suécia oriundas de países onde a prática é prevalente. (advinha que países são esses?) (Friatider)
A "circuncizão feminina" é proibida na Suécia.

Suécia: "governo feminista" se curva ao islão
A parte de cima da foto mostra as mulheres do governo da Suécia, que se auto intitula "o primeiro governo feminista do mundo", tirando uma foto em protesto ao presidente Trump, considerado por elas como misógino (apesar dele empregar homens e mulheres, sem distinção, nas suas empresas).
A parte de baixo da foto mostra estas mesmas mulheres do "primeiro governo feminista do mundo" visitando o Irã e se encontrando com o Presidente  Rouhani. E como elas se vestem? Sim, se submetendo ao islão e cobrindo a cabeça. (UN Watch)
Estas "feministas" usufruem da sociedade liberal criada pelo sangue e suor de homens e mulheres. E agora, elas pegam estas liberdades que elas herdaram e as destroem, rendendo-se ao islão. Elas são traidoras e hipócritas!


Suécia aceita casamento de menores satisfazendo a Sharia
Uma corte suéca aceitou a validade do casamento de uma menor de 14 anos com o seu primo. A corte alegou que a menina é "madura" e também citou motivos religiosos e culturais. Ao fazer isso, esta corte abre um precendente e valida o casamento de mulheres menores de idade se ocorrerem por "motivos religiosos." A corte se submeteu à Sharia. (Speiza). 

Suécia: casamentos de menores "imigrantes" são comuns  
A Agência de Imigração identificou 132 crianças casadas, sendo 129 meninas e 3 meninos. A maioria tinha 16 ou 17 anos, sendo que 14 deles eram menores de 15 anos. A maioria das crianças vêm da Síria, do Iraque ou do Afeganistão. O Provedor de Justiça analisou a situação em Malmö em 2015. Foram identificadas 65 crianças casadas, sendo que 61 delas tiveram autorização da justiça para continuar vivendo com seu marido (Expressen). Outras duas reportagens discutem vários casos onde as "noivas" (meninas) são estupradas e engravidadas (Barometernvlt)

EUA: professor universitátio defende estupro e escravidão sob a Sharia 
O professor Jonathan Brown, um muçulmano convertido do International Institute for Islamic Thought, uma organização ligada à Irmandade Muçulmana e que funciona dentro da (outrora católica) Universidade Georgetown, deu uma aula na qual ele fez afirmações que o levariam à demissão, se os tempos fossem outros. Leia mais sobre isso neste artigo clicando aqui.  

Europa: "refugiados" matam mulheres que os ajudam
  1. Suíça: Migrante nigeriano é preso por esfaquear uma "ajudante de refugiados" à morte. Um migrante nigeriano de 27 anos de idade foi preso na Suíça depois de assassinar uma mulher de 22 anos, uma voluntária que ajudava requerentes a asilo na Alemanha, fugir do país (Breitbart). 
  2. Na Alemanha, Maria Ledenburger foi estuprada e morta por um candidato a asilo afegão de 17 anos no seu caminho para casa. Como Soopika, Ladenburger também ofereceu seu tempo ajudando solicitantes de asilo. (Breitbart)
  3. Na Suécia, no ano passado, um migrante somali esfaqueou a trabalhadora do centro de asilo Alexandra Mezher para morrer em um lar para migrantes menores de idade. O requerente de asilo acabou por não ser menor de idade depois que a polícia investigou seus antecedentes, levando muitos a questionar os métodos usados ​​pelo governo sueco para determinar a idade real dos imigrantes. (BreitbartBreitbart)
  4. Na Áustria, um migrante assassinou uma mulher que estava tentando ajudá-lo no ano passado. Uma americana trabalhando como babá em Viena foi estrangulada até a morte por um migrante gambiano em seu apartamento depois de deixá-lo ficar ali para evitar a deportação. Ele também foi capturado na Suíça depois de fugir do país. (Breitbart)
Nigéria: clérigo islâmico depila e estupra menina
Akeem Ibrahim, clérigo islâmico em Ikeja, disse para uma menina que ele sonhou que eles tinha se casado. Ele a levou para a sua casa onde ele depilou os pelos pubianos da menina e a penetrou com os seus dedos. A menina sofreu ferimentos, e ele está sendo julgado (Daily Post).


Atualizações em janeiro de 2017


França: TV 2 mostra que mulheres estão abandonando as ruas em bairros islâmicos
Reportagem da TV 2 francesa, mostra que as mulheres estão literalmente desaparecendo de cafés e bares em determinados subúrbios predominantemente muçulmanos na França. Enquanto que as mulheres francesas reagem, as mulheres muçulmans acham isso algo normal. Leia mais no artigo "Europa: O Caso do Desaparecimento de Mulheres" do Gatestone Institute. (video: Vlad Tepes).


EUA: casamentos forçados também ocorrende entre os imigrantes ou cidadãos oriundos do Paquistão, Afeganistão, Egito, ... 
Entre 2009 e 2011, pelo menos 3.000 meninas e mulheres jovens de 47 estados dos EUA foram forçadas a se casar - incluindo muitas com idade inferior a 18 anos. Os dados provêm de uma pesquisa realizada pelo Tahirih Justice Center, uma organização não-governamental que oferece serviços de advocacia gratuito para mulheres e meninas imigrantes e abusadas nos Estados Unidos. (Truthdig)

Afeganistão: mulher é degolada por ir às compras sem o marido
Segundo a lei islâmica (Sharia) a mulher precisa de permissão do homem para sair de casa, e precisa de um acompanhante. (NoticiasaoMinuto)

Síria: maridos se divorciam das esposas que trabalham
Com a guerra civil, e o maior envolvimento masculino no exército, houve uma falta de mão-de-obra sendo ocupada pelas mulheres. Mas muitos maridos não concordam que as esposas trabalham e as estão divorciando. (Clarion Project)

Espanha: rainha se recusa a visitar a Arábia Saudita
“Letizia nunca visitaria um país que proíbe as mulheres de conduzir, em que as mulheres casadas não podem viajar sozinhas e têm de ser acompanhadas por alguém da família do marido; um país onde 150 pessoas foram executadas nos últimos anos, por decapitação na sua maioria, por se oporem aos governantes; um país que subsidia milhares de mesquitas em todo o mundo; um país onde as mulheres divorciadas não podem entrar em locais públicos por serem consideradas adúlteras (…)”.. (Observador)

Canadá: muçulmano ataca sexual motorista de ônibus enquanto ela dirigia
Mohammed Sahib, é um imigrante muçulmano já conhecido pela polícia de Vancouver, no Canadá. Ele atacou sexualmente, metendo a mão por dentro da calça da motorista, enquanto ela dirigia. Felizmente, ela conseguiu se manter calma, mantendo controle do ônibus. Ele acabou preso.
É claro que existem tarados. Mas neste caso, deve-se questionar até que ponto a pregação islâmica, que defende que mulheres que não se cobrem são como "carne exposta", não o está estimulando a fazer aquilo que lhe foi ensinado. (CBC)

Mais relatos sobre o extermínio do povo iazide e a escravidão sexual de suas mulheres
Mas as feministas americanas e canadenses não estão nem aí. Elas têm previlégios e não se interessam pelas outras mulheres. Elas apena se interessam é em usar "direitos das mulheres" como pretexto para avançar a sua ideologia criminosa. (Independent)

Irã: Fisiculturista iraniana é presa por postar fotos mostrando corpo sarado em rede social
Ela mostrou o cabelo, os braços e a calça que mostra o contorno das suas pernas! Isso é a lei islâmica em ação sendo praticada pelo GOVERNO do Irã. (extra)

Arábia Saudita: mãe oferece filha como presente ao policial que agiu como herói.
Ela disse que não se importa se sua filha se torna a segunda ou até terceira esposa de Awaji e disse que sua oferta era genuína e sincera. Ela disse que não quer o mahr (preço da noiva) e vai pagar as despesas do casamento. O pai concordou. (Ecoando a Voz dos Mártires)

"Um homem nunca será perguntado sobre o motivo que o levou a bater na sua esposa" 
Hadice de Abu Dawud, Volume 2, Capítulo 41/42, 2147
(Este capítulo tem como título: "Com respeito a bater na mulher.")

Suécia: estupro mostrado ao vivo pela Internet. Quem são os 3 estupradores? 
O estupro coletivo de uma mulher sueca foi mostrado em live stream. O nome ou a origem dos estupradores não foi revelada, mas as fotos indicam que eles não são suecos. Seriam refugiados? (blastinnewsultimo segundo)